Sabadão, sol, pensamentos.

Algo de minha autoria para a tarde de sábado.
Algo recém feito, talvez não lapidado como deveria.
Mas é do fundo do coração; e talvez um dia eu pense diferente, who knows.


Incertezas
(Mariana Cervi Soares)

Não tenho mais
tantos amigos quanto acreditava
tudo mudou, nada é estático
talvez eu ainda não enxergava

É a paixão pela vida
que os muito jovens têm
que cega, que ilude
e não que eu esteja envelhecida
mas eu sei, talvez como ninguém
que o tempo passou...numa corrida

Não queria mais crescer
ou pelo menos não queria notar
que os passos aumentam
os caminhos surgem
e que as pessoas se vão.
Talvez não para sempre, talvez sim...sem explicação

Sem querer, penso nisso todo o dia
e não sei o que sinto,
não é melancolia,
não é exatamente tristeza
acho que é uma nostalgia de outros tempos,
da infância, inocência do ser.

Outros amigos farei,
mas nenhum como aqueles das melhores lembranças,
pois os novos já terão as suas próprias
para um dia contar a mim, uma outra amizade
sobre aqueles tempos da saudade,
que todos guardamos no coração.


Impressionante como um sábado à tarde pôde me fazer pensar tanto.
Boa tarde muchachos!

2 comentários:

Flor disse...

Aah, muito Lindo seu poema, Mariana! Sua tarde de reflexão realmente valeu a pena!! ~[:

Beeijo!

Juliana Palma disse...

Que lindo! Amo teus poemas x) tô com saudades, quando vamos nos ver? beijo